A Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD) iniciou ontem, em almoço com o pré-candidato do Podemos, Sérgio Moro, uma série de reuniões com líderes políticos que devem concorrer à Presidência da República no próximo ano. O objetivo é levar aos presidenciáveis as demandas do setor de energias renováveis e discutir o futuro do setor elétrico nacional, sobretudo temas como geração distribuída, empoderamento dos consumidores, descarbonização, políticas de inclusão social e geração de emprego e renda através da economia verde. O encontro aconteceu em um restaurante, na cidade de São Paulo (SP).

"Os próximos anos continuarão desafiadores para nosso segmento, que precisa de uma regulação justa e equilibrada para continuar se desenvolvendo e contribuindo com a expansão da matriz renovável. Por essa razão é muito importante estabelecer um diálogo com aqueles que podem ser nossos representantes no executivo", afirma Carlos Evangelista, presidente da ABGD.

Na ocasião, Moro afirmou estar ciente da importância do setor elétrico para o desenvolvimento do País. "Nós sabemos que os setores de energia solar, eólica e demais renováveis são estratégicos, há tecnologias avançando e sabemos também que são necessário marcos regulatórios adequados", destacou.

Também participaram do almoço o presidente eleito da ABGD para o próximo biênio, Guilherme Chrispim; Lúcia Abadia, diretora Comercial e de Ações Sociais; Einar Tribuci, diretor Jurídico e Tributário; Carlos Cunha, diretor regional de Goiás e Eduardo Lopes, diretor de Indústrias.

A ABGD agora está agendando os próximos encontros, com o objetivo de conversar com o maior número possível de presidenciáveis, a fim de compartilhar com todos eles os desafios do mercado de energia renovável e ouvir suas propostas para esse setor.

Tag: GD Geração distribuida Gdparatodos